Do ensino infantil à graduação, instituições atraem novos moradores

Do ensino infantil à graduação, instituições atraem novos moradores

24 de janeiro de 2020 0 Por Pensar Lajeado

Lajeado atrai centenas de novos moradores a cada ano. E muitos deles são atraídos pela gama de escolas, diversos cursos profissionalizantes e a universidade

Hoje são mais de 8,8 mil alunos da rede municipal infantil e fundamental, e quase quatro mil na rede particular. Além disto, o município possui diversas escolas de língua estrangeira, a Universidade do Vale do Taquari (Univates), um conjunto de serviços profissionalizantes, como o Sest/Senat, Senac, Senai, Sebrae, e ainda uma unidade do IFSul.

Como na maioria das cidades brasileiras, os problemas se concentram na rede básica pública. Em 2015, o governo municipal criou o Plano Municipal de Educação. Universalizar o acesso ao ensino infantil – crianças de 4 a 5 anos – e fundamental estava entre as estratégias e metas. Também se buscou atingir índices maiores de atendimento nas redes para jovens e adultos, e também para alunos especiais.

Desde então, o Executivo cumpriu parte das metas, alterou outras tantas, e ainda não resolveu falta de vagas em creches. Em novembro de 2019, por exemplo, eram 880 alunos na fila de espera por uma escola de educação infantil, enquanto outros 3.362 estavam matriculados. No ensino fundamental são 5.525 estudantes e não há lista de espera.

O problema maior ainda é garantir ensino gratuito para crianças de até cinco anos. Na atual gestão, o Executivo  comprou vagas em creches privadas. No ano passado, foram ocupadas 74 vagas neste modelo. Mais recentemente, em dezembro de 2019, o governo municipal firmou convênio com a Univates para a gestão de uma nova creche em construção no bairro Santo Antônio.

De modo geral, o serviço público de educação oferece 47 estabelecimentos. São 18 escolas de ensino fundamental, 23 escolas de educação infantil, e seis unidades do Projeto Vida – aulas e atividades em turno oposto ao escolar em bairros mais carentes. Já no setor privado, estima-se em quase duas dezenas o número de creches particulares. Há tambem cinco escolas particulares de educação básica, além de uma gama crescente de creches privadas.

Formação tecnológica

A Univates possui mais de 1,4 mil alunos nos Cursos Técnicos. Hoje, são mais de 20 opções para os estudantes

Conforme o Censo Escolar de 2018, hoje 97% das escolas lajeadenses possuem internet – 92% têm Banda Larga. Nesses espaços, estão disponíveis 791 equipamentos de computador. Alheios ao modelo de educação da rede privada e pública, Lajeado também recebe novos empreendimentos na área. Entre esses, a Happy Code, referência no ensino de Programação, Maker e Robótica para crianças e adolescentes.

A metodologia de ensino da Happy Code é baseada no desenvolvimento de habilidades do século 21, trabalhando disciplinas ligadas aos novos desafios da era digital. Entre os temas da chamada Alfabetização Fundamental, a Alfabetização Numérica e Científica, Letramento Digital e Educação Financeira.

Entre as temáticas para a Formação Regular de alunos entre sete e 17 anos, destaque para Desenvolvimento de Games 2D e 3D; desenvolvimento de aplicativos para smartphones, com linguagem de programação e técnicas de Design Thinking; curso de Robótica com Lego; e curso para compreensão do universo Youtuber, criação de canal, manutenção e geração de conteúdo, edição de vídeo, trilhas, tratamento de imagens, entre outros.

Profissionalização como ferramenta

O governo municipal aposta nas parcerias com entidades profissionalizantes, subsidiando cursos no Sest/Senat, Senac, Senai, Sebrae e conseguiu atrair a unidade do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-Rio-Grandense, o IFSul Câmpus Lajeado. Hoje são pouco mais de dois mil alunos buscando novas oportunidades de renda e emprego por meio dos estudos nesses espaços.

Entre eles está Adriani de Souza Rodrigues, 18 anos, moradora de Teutônia. Ela estuda e trabalha em Lajeado. Fez o curso de Assistente Administrativo no SENAI entre 2017 e 2018. “Quando terminei o projeto integrador, eu tinha 17 anos. Depois finalizei o Ensino Médio e já comecei a trabalhar no SENAI”.

 

 

Atualmente está cursando psicologia na Univates. Mas enfrenta dificuldades para financiar a graduação. “Eu faço menos cadeiras por causa disso. Minha sugestão para esse caso seria ter outras opções de bolsas ou incentivo do município com financiamento próprio para ter valores mais acessíveis ou em tempo maior. Esses estudantes depois vão dar retorno para a cidade, tanto com impostos, como pela mão de obra qualificada”.

Após se formar em psicologia ela pretende atuar em Lajeado. “É próximo da minha família. Penso em talvez abrir uma clínica aqui ou trabalhar em alguma empresa. Mas com certeza quero continuar em Lajeado porque é o centro do Vale do Taquari”.

 

Graduação com valor agregado

O Laboratório de Análises Clínicas da Univates existe desde 2010 e atende demandas de ensino e de pesquisa dos cursos da área da saúde

A Univates é a melhor universidade privada do Sul do Brasil, conforme dados divulgados em dezembro de 2019 pelo Ministério da Educação (MEC), em relação ao conceito de graduação. Em nível nacional, a instituição figura como a terceira melhor universidade privada nesse conceito. São diversas formas de ingresso e mais de 35 cursos presenciais, diversos laboratórios, estrutura física moderna e intercâmbio acadêmico.

Entre os 13 cursos da Univates avaliados no Conceito Preliminar de Curso (CPC) em 2018, 12 obtiveram conceitos 4 e 5, considerados de excelência (92%). No Brasil, esse índice é de pouco mais de 30%. Os cursos de Design de Moda e Relações Internacionais alcançaram a nota máxima (conceito 5) no índice.

Com isso, o curso de Design de Moda é considerado o melhor do Sul do País e o terceiro melhor do Brasil. Já o curso de Relações Internacionais é o segundo melhor do Sul do Brasil, assim como o curso de Jornalismo. Ainda pelo CPC, os cursos de Gastronomia e Tecnologia em Logística são os melhores do Rio Grande do Sul.

 

Bárbara Grenzel é natural de Boa Vista do Buricá e hoje mora em Lajeado. “É uma cidade com muitas oportunidades.”

Curso de Medicina

Recentemente a universidade abriu o Curso de Medicina e já planeja iniciar também a graduação em Medicina Veterinária. E entre os futuros doutores está Bárbara Grenzel, de 28 anos, natural de Boa Vista do Buricá. Atualmente ela mora em Lajeado. “Eu me encantei por Lajeado. É uma cidade com muitas oportunidades, limpa, organizada e fica numa região rica culturalmente e com múltiplas opções de lazer.”

Para Bárbara, o município também possui boa qualidade de vida. “Eu e meus colegas temos apreço muito grande, tanto pela universidade quanto pela cidade.” Ela finalizou o curso em dezembro de 2019. Agora, pretende atuar na cidade. “Quero tentar retribuir um pouquinho do que recebi dessa cidade que me fez sentir em casa desde o primeiro dia”.

Facebook
Twitter
LinkedIn

Leia também